03/10/2007

Antes da Metralha ...

Tomaz Kim


Antes da metralha e do dedo da morte...

Antes dum corpo jovem, anônimo,

apodrecer, esquecido, à chuva...

Ou singrar, boiando, nas águas mansas...

Ou se despedaçar contra o céu indiferente...


Antes do pavor e do pranto e da prece...

Um adeus longo e triste

aos poemas amontoados no fundo da gaveta

e à renúncia ao teu amor brando

e às noites calmas e ao sonho inacabado...


Antes da morte sem mistério...

Um adeus longo e triste

à luta de que não se partilhou!


Tomaz Kim (1915-1967), pseudónimo de Joaquim Fernandes Tomaz Ribeiro-Grillo, nasceu em Angola e faleceu em Lisboa. Frequentou o curso de Filologia Germânica na Faculdade de Letras de Lisboa, sendo posteriormente convidado para leccionar na mesma instituição. Viveu vários anos em Londres, vindo a ser influenciado pelos thirties e mantendo-se alheio aos movimentos que iam caracterizando a poesia portuguesa do século XX. Pertenceu à direcção da revista Cadernos de Poesia. Foi autor de vários estudos de literatura e de traduções de poetas e ficcionistas anglo-saxónicos.

Obras poéticas: Em Cada Dia se Morre (1939); Para a Nossa Iniciação (1940); Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse (1943); Dia de Promissão (1945); Flora & Fauna (1958), Exercícios Temporais (1966).

Um comentário:

Xará disse...

Oi, Glória, dou sempre uma passada no teu blog para me atualizar. quando sai a nova regulamentação do divóricio para nós? Estou na expectativa. Quero me divorciar mas a gran ta curta.